Conto erótico de incesto: Sexo entre Primos (com fotos)

Conto erótico de incesto: Sexo entre Primos (com fotos)

Esse era o grande desejo dele, e deu tudo certo ao passar as férias na casa da tia, comendo a prima. Um conto erótico de incesto muito excitante e com fotos!

Tenho vários primos mais ou menos da mesma idade. Desde criança, costumávamos nos reunir na casa de nossa tia, no interior do Paraná. E um dos primos era a G. Desde criança sempre nos dávamos muito bem.

Fomos crescendo e chegou um ponto que passei a olhá-la com outros olhos. Ela era linda e tinha uma bundinha tão deliciosa.

Eu jamais iria tentar algo com ela afinal, poderia causar um problema familiar. Mas eu sempre brincava de fazer cócegas nela, pegá-la no colo, mas tudo com segundas intenções, para sentir o corpinho dela no meu.

Chegou a época das férias e os primos como sempre combinaram de ir pra casa da tia. Dessa vez, apenas eu e a G iríamos.

Fui pra lá primeiro e alguns dias depois ela chegou. E ela estava mais linda ainda. Seios maiores, tinha pintado o cabelo e usava uma calça apertadinha. Conversávamos, saíamos pra passear pela cidade… as férias iam bem.

Clique aqui e conheça o Tesão de Vaca

E sempre que eu tinha a oportunidade, tentava tirar uma casquinha da prima, abraçando ela pra sentir aqueles peitões, beliscando ela, brincando…

Sempre fiz isso, mas depois de um tempo, comecei a desconfiar que ela assim como eu também fazia brincadeiras mas com segundas intenções. Ficávamos boa parte do dia sozinhos em casa, pois minha tia trabalhava fora.

Um dia, ela ficou me provocando, dizendo que eu era magrelo… pra eu tirar a camisa pra ela ver como eu era magrelo, que eu não tinha força pra beliscar ela, etc. E ficamos ali brincando, fazendo cócegas um no outro.

Nossa, meu pau ficou muito duro e ela percebia afinal, quando eu abraçava ela pra beliscar e fazer cócegas, ela podia sentir meu pau roçando na sua bunda (e mesmo com roupa, eu quase sentia seu cuzinho, de tão forte que apertava ela).

Mas ao invés de sair, ela continuava me provocando. E cada vez que eu apertava, ela respirava forte.

Então tive certeza: é hoje! Ela correu para o quarto e eu fui atrás. Continuamos com nossa “brincadeira” e joguei ela na cama. Abracei ela e comecei a beijar seu pescoço. Ela então se entregou e gemia, me abraçando também. Rapidinho, tirei a blusa e o sutiã dela e pude ver seus seios. Lindos!

Ela se deitou e eu comecei a chupá-los e alisá-los. Minhas mãos percorriam todo seu corpo e fui descendo a mão pela barriga dela. Eu estava muito excitado e arranquei a calça dela com força. Ela falou “cuidado pra não rasgar minha calça”.

Ela só de calcinha e eu lambendo aquela xaninha pela calcinha. Aquele cheirinho de buceta de prima que eu jamais esqueci. “Tira logo, porra”, ela falou. E eu obedeci.

E a xaninha dela! O que era aquilo?!! Rosadinha… delicinha! Eu estava com água na boca de vontade e comecei a chupá-la. Minha língua passeava por ela todinha, e brincava naquele grelinho dela. Enfiei a língua todinha naquela bucetinha linda e ela delirava de prazer.

Sexo oral

Então ela me pediu pra tirar minha calça. Fiquei só de cueca e ela tirou meu pau pra fora. Segurou ele com muita força e começou a chupar. Que boquinha! Ela lambia a cabeça do meu pau bem devagar e depois sugava quase todo ele.

Coloquei uma camisinha e ela se deitou na cama, com as pernas arreganhadas. Então comecei a meter meu pau. Nossa, que delícia. Ela estava quentinha e eu em ponto de bala. Gemíamos muito e ela arranhava minhas costas, me abraçando bem forte.

Terminamos e foi cada um para um lado. Eu estava com muita vergonha de falar com ela depois de transarmos, e acho que ela também.

No dia seguinte, uma surpresa. Acordei de manhã com alguém na minha cama, me beijando e com a mão no meu pau. Era ela! Ela disse: “Quero mais, Rick. Vamos”. Eu nem precisei dizer nada. Começamos a nos beijar e nos agarrar.

Tiramos toda a roupa e ela começou a chupar meu pau. Nossa, ela babava muito e isso era delicioso.

Então ela parou e disse “quer comer meu cú? To guardando ele pra você faz tempo, seu lerdo”!

Eu não acreditava que iria comer o cuzinho da minha prima!

Ela se virou e ficou de quatro. aquela bundinha linda ficou arreganhadinha e o cuzinho dela praticamente sorria pra mim. Meu pau já estava bem molhado por causa do boquete dela então fiquei passando a cabecinha dele no cuzinho dela.

Ela gemia e pedia pra eu meter. Fui entrando, bem devagar. Era bem apertadinho e ela gemia e às vezes se contraía. Segurei no quadril dela com força e fui aumentando os movimentos.

Sexo anal

Eu não podia acreditar que comi e gozei naquela bundinha linda e deliciosa. Sem dizer nada, fomos tomar banho juntos e nos beijamos muito debaixo do chuveiro.

E assim foi o resto daquelas férias. Sempre que não tinha ninguém em casa, corríamos pro quarto para transar.

Conto enviado por Rick.

Clique aqui e conheça o Tesão de Vaca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.