Você é viciado em sexo? 7 perguntas para descobrir

Você é viciado em sexo? 7 perguntas para descobrir

Mais conhecida como “vicio em sexo”, o transtorno do comportamento sexual compulsivo é visto como um distúrbio da saúde mental. Pois, o sexo deixa de ser algo saudável e prazeroso e se transforma em fonte de sofrimento para a pessoa.

Para saber como identificar os sintomas desse distúrbio e como tratá-lo, basta continuar com a leitura deste conteúdo!

Descubra se você é viciado em sexo

Em 2018, o termo “exacerbação da sexualidade” foi adicionado à 11ª edição do CID, sistema de Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde de OMS (Organização para a Saúde Mundial).

O nome correto para o vicio em sexo é “comportamento sexual compulsivo” e caracteriza-se por comportamentos persistentes e repetitivos ao longo de pelo menos seis meses.

Uma pessoa tenta se conter, mas não consegue. Então, ela passa a priorizar o sexo sobre outras atividades diárias. Esse comportamento compulsivo nem sempre envolve sexo com parceiros; também pode envolver masturbação e pornografia.

Confira logo abaixo algumas perguntas para se fazer para descobrir se você sofre com esse distúrbio ou apenas tem uma libido mais elevada.

O que os homens gostam no sexo

Você é capaz de adiar seus desejos sexuais ou deve agir de acordo com eles?

Pessoas que sofrem com esse transtorno não conseguem adiar seus desejos sexuais. As fantasias ou desejos sexuais têm precedência sobre qualquer outro tipo de preocupação, incluindo familiares e profissionais.

Além disso, a pessoa também pode acabar usando o banheiro do local de trabalho ou de qualquer outro local público para satisfazer seus desejos, por exemplo.

De acordo com a OMS, o diagnóstico de transtorno do comportamento sexual compulsivo só é apropriado quando a pessoa começa a ter impulsos sexuais intensos e repetitivos que são percebidos como irresistíveis ou impossíveis de controlar, o que leva aos comportamentos sexuais repetitivos.

O sexo te causa prejuízos sociais, financeiros ou profissionais?

Ao contrário do que a maioria das pessoas imaginam, o critério para o diagnóstico do vício em sexo não é a frequência da atividade sexual que uma pessoa tem. É crucial determinar se esse comportamento causou danos em áreas da vida dela.

Isso porque, esse vício leva ao aumento do sofrimento ou sérios danos na vida de uma pessoa, como perdas financeiras. O fator-chave é determinar se a atividade sexual está prejudicando e angustiando o indivíduo.

Muitos com esse distúrbio gastam quantias excessivas com prostituição, motéis e casas de swing, prejudicando sua situação financeira. A perda de oportunidades profissionais é outra possibilidade.

Essas pessoas não participaram de uma entrevista de emprego ou se atrasaram para o trabalho porque estavam fazendo sexo e a hora passou sem que visse. Outro ponto para ficar atento é quando a pessoa se afasta da família e dos amigos, para que possa passar mais tempo fazendo sexo ou se masturbando.

Conto erótico de sexo entre amigos do trabalho

Você sente sensação de culpa após a atividade sexual?

Pessoas viciadas em sexo podem sentir tristeza ou angústia depois do ato sexual. Após ejacularem, indivíduos com este distúrbio perdem esse desejo fissurado e se sentem mal-humorados e degradados.

Além disso, o consumo de álcool e outras drogas é um comportamento muito comum entre as pessoas que vivem com este transtorno. Esses indivíduos usam essas substâncias como meio de fuga após a atividade sexual em um esforço para escapar dos sentimentos negativos.

Você notou que para obter mais prazer sexual requer uma quantidade cada vez maior de sexo?

O vício em sexo tende a ficar pior muito rápido caso não seja tratado, situação parecida ao que acontece com as dependências químicas.

Por exemplo, se uma pessoa faz sexo ou se masturba entre três e cinco vezes por dia, daqui algumas semanas, ela sentirá a necessidade de aumentar essa frequência para que possa satisfazer os seus desejos.

Já tentou diminuir a prática sexual e não conseguiu?

É crucial examinar se o vício em sexo de uma pessoa está ligado a quaisquer outros problemas psiquiátricos. Pessoas que têm comportamento sexual compulsivo tendem a se envolver em atividades sexuais como mecanismo de enfrentamento para ansiedade e transtorno bipolar, por exemplo.

Você às vezes se envolve em práticas sexuais de risco?

As pessoas que têm vício em sexo se envolvem em comportamentos sexuais que coloca ela e outras pessoas em risco. Por causa de seu desejo incontrolável, elas podem, por exemplo, ignorar o preservativo e se envolver em atividade sexual com indivíduos desconhecidos.

Além disso, também é comum que as pessoas se envolvam em atividade sexual em espaços públicos ou em vias públicas.

Não consegue superar o comportamento mesmo ciente do sofrimento que causa para você e outras pessoas ao seu redor?

Existem vários efeitos negativos causados ​​pelo comportamento sexual compulsivo. No entanto, apesar dos efeitos negativos e mesmo quando há pouca ou nenhuma satisfação com isso, o indivíduo continua a se envolver com essas atividades sexuais.

Consequências do vício em sexo

Tanto para o sofredor quanto para outras pessoas próximas, essa condição pode causar uma variedade de impactos. Existem complicações que esse transtorno pode trazer ao longo do tempo, como culpa, raiva, vergonha e baixa autoestima.

As pessoas também podem desenvolver um trio de depressão, ansiedade e fobia. Confira logo abaixo outras complicações que o vício em sexo pode causar:

  • Problemas nos relacionamentos interpessoais;
  • Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs);
  • Problemas financeiros;
  • Isolamento social;
  • Uso de substâncias não saudáveis e ilícitas;
  • Prisão por atos sexuais em locais inapropriados.

Possíveis causas

Embora não haja uma causa exata para o desenvolvimento do vício, estima-se que esse desequilíbrio pode ser a maneira do corpo de usar a atividade sexual para reduzir os níveis de estresse.

Sendo assim, o transtorno do comportamento sexual é mais frequente em pessoas com problemas para regular suas emoções ou que têm casos relacionados à abusos ou traumas.

Vale notar que, as pessoas que sofrem com outros distúrbios psiquiátricos, como transtorno bipolar ou esquizofrenia, estão mais suscetíveis a apresentar esse vício em sexo.

Por isso, quando suspeitar que sofre com esse problema, o ideal é buscar ajuda o quanto antes, para realizar exames e iniciar o tratamento adequado, evitando maiores complicações nos diversos setores da vida.

Conclusão

Uma pessoa que sofre com o transtorno do comportamento sexual compulsivo costuma dedicar muito de seu tempo às atividades sexuais. Com isso, deixa de lado suas responsabilidades, interesses, cuidados pessoais e até mesmo a própria saúde.

Vale lembrar que uma pessoa com libido elevada, caso não tenha nenhum dos problemas citados neste conteúdo, não sofre deste distúrbio. Por fim, caso tenha gostado, não deixe de compartilhá-lo com seus amigos!

Clique aqui e veja como aumentar o pênis

Gostou? Avalie:
[Total: 2 Média: 5]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *